quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Estarei palestrando nesse grande evento


Permitindo Deus estaremos palestrando no dia 03/11, às 20h.
Evento da nossa convenção.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

A beleza da vida, refletida no viver

A vida sem certas "asperezas" e com a sabedoria da graça, é sempre pura, repleta de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sem hipocrisia. Cabe a nós discernir ela com essa leveza necessária. Um vídeo como esse abaixo é também a bíblia bradando e nos falando o quanto Deus é amor nas mais singelas expressões e momentos do viver. Só não enxerga isso quem não vive cheio desta graça. Lindo vídeo: assista!



quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Teologia e Física Quântica - II

Resultado de imagem para fisica quanticaQuânticamente expondo, o ponto de ignição que leva ao "X" da questão dos múltiplos conhecimentos provenientes da física quântica no que é concernente e urgente para a teologia, não vem com o intuito a priori nem a posteriori, de explicar sistematicamente as Escrituras, nem apenas de criar uma "nova hermenêutica"; ou mesmo ser uma "muleta funcional" para tal. Esta vem prioritariamente para ajudar na macro compreensão insofismável da Palavra e em alguns momentos até chancelar de forma palpável o que as Escrituras já mostram.

Por exemplo, se os conhecimentos que temos hoje (falando só do que já está comprovado) estivessem no entendimento dos que foram sérios e honestos pais da Igreja, muitas discussões teriam ido em outra direção; e teria outro rumo muitas tentativas de explicar o que jamais se entenderá se houver a reducionista e simplista compreensão linear de tempo e espaço, algo já vencido pelas elucidações recentes provenientes da mecânica quântica. Inclusive até equívocos históricos caem por terra com o que a física quântica comprova hoje.

Agora, a fé não é assim meramente interpretada pela física quântica, mas a física quântica está a serviço da fé de forma intrinseca. Na prática, ela dará o sentido pleno do que é ou não factual. Por isso inevitavelmente vai crescentemente nos próximos anos interagir sim com a filosofia, biologia, psicologia, teologia, etc.

A física quântica está então a serviço da teologia amplamente, apesar de ser independente em alguns aspectos de seu modus operandis e status quo. No entanto, estranhamente sua independência se constitui justamente por sua dependência amistosa, inclusive com a teologia. E tenho dito: se não avançarmos logo na teologia com respostas responsáveis e plurais disto e nisto, estaremos sendo mais frente em termos acadêmicos tão ridicularizados, que palavras não podem descrever hoje como será.

sábado, 30 de setembro de 2017

Orando com vida, para se ter uma vida de oração

Finalizando exatamente agora, dando os retoques finais em um esboço para ministrar dentro do contexto proposto a mim, em um simpósio no qual fui recentemente convidado, ao estudar avidamente Mateus 6, especialmente nas bases da conhecida oração que Jesus ensinou, dentro de várias colocações evidentes nas Escrituras e principalmente nos evangelhos, um conceito macro que precisamos entender sobre oração é: QUEM NÃO ORAR COM A SUA VIDA (ATITUDES), NÃO TERÁ JAMAIS UMA VIDA DE DE ORAÇÃO. O nosso orar tem de ser verticalmente horizontal. Só assim será possível o "orai sem cessar". Só assim a oração não vira ritual religioso. Só assim teremos uma vida de oração. Leia todo o sermão do monte. Mergulhe em Mateus do capítulo 5 ao 7; e você vai ver o que é de fato ser alguém que ora em sinceridade e verdade.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto
Observação: Estaremos com a graça de Deus, ministrando às 18h de hoje (30/09/2017), na Igreja Batista Missionária em Camaragibe, pastoreada pelo Pr. Belarmino. O referido Simpósio mencionado no texto acima, pode ser acompanhado pelo facebook da comunidade IBMC. Clique para isto na imagem ao lado.

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Homenagem

Recebemos com a graça de Deus, uma singela e emocionante homenagem na Câmara Municipal do Recife, dia 28/09/2017. Minha Igreja completou 75 anos. CLIQUE AQUI E CONFIRA A REPORTAGEM OFICIAL.


quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Teologia e Física Quântica - I

Imagem relacionadaTenho dito há alguns meses, que precisamos urgentemente avançar no nosso entendimento como cristãos, em relação a Física Quântica, e suas conclusivas (algumas já palpáveis), que tende a crescer e mudar muitas outras perspectivas nos próximos anos. E se a teologia não avançar, esta se tornará um colossal reducionismo e será visto como algo pueril.

E digo ainda que não devemos ter meramente uma "teologia quântica", mas uma "quântica teologia", onde falemos a Verdade e mostremos Jesus e a obra da cruz como resposta viva a tudo isso de forma suprema, mas sem arrogância.

A física quântica estar a mostrar enfaticamente novas perspectivas e entendimentos. Muitos erros de outrora cometidos por teólogos, se devem em alguns casos a ausência de entendimentos tão claros para nós hoje. Muitos fatos, que já estão na Palavra até,  precisa ser levado a sério coletivamente e urgentemente. Enquanto, porém, estivermos medievalisticamente vivendo em um limbo de "status quo" retrogrado, se conectando com a vida, numa existencial internet discada ainda, as evoluções inexoráveis avançam em largas bandas.

Mas ainda é objeto de "intelectualidade", discussões arcaicas como aspersão x imersão, por exemplo. Ainda estamos neuroticamente abraçando sofismas. Ainda nos apegamos a noções superficiais, como se tais fossem algo importante.

Mas o que vamos dizer teologicamente sobre os avanços do acelerador de partículas, já alcançando quase a velocidade da luz? O que diremos sobre multiversos, dimensões paralelas e coisas que começam criar corpo no entendimento coletivo? A questão da não existência do tempo como aprendemos, e os desdobramentos e variantes de tudo isso? O que iremos validar? O que vamos relativizar? O que vamos negar?

A questão é que estamos presos ainda na Idade Média... Ainda não entendemos o óbvio sobre assuntos elementares. E enquanto isso, avanços inexoráveis ocorrem aos nossos olhos. Deus nos ajude!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Julgar é diferente de condenar

Resultado de imagem para sinal de diferenteA bíblia diz: "Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e (com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós" (Mateus 7:1,2). A palavra julgar tem dois sentidos diretos, ao menos na bíblia; um aponta para a idéia de condenar, a outra de analisar e obter discernimento sobre tudo. Em Mateus 7:1 lemos: "Não julgueis, para que não sejais julgados". Neste caso, o que Cristo orienta a não se fazer é o julgar na perspectiva do condenar. Quando vamos ao grego esta ideia fica exposto ainda mais evidente.

No correlato em Lucas 6:37, é óbvio perceber a palavra julgar nesse caso como sinônimo de condenar: "não condeneis e não sereis condenados". E mais ainda: esta ordem é uma repreensão àqueles que julgam o próximo tendo a si mesmos como medida ou padrão. Apenas a autoridade  da Palavra pode fazer isso.

Então em um contexto amplo, não cabe a nós a aplicação da pena ao infrator, fazer justiça com nossas mãos ou fazer o que só a Deus cabe (por isso também vemos tanto sobre o perdão em todo o capítulo). A partir disso entendemos Paulo II Timóteo 4:1. Em Tiago 4:12 fica mais claro ainda: "Há apenas um Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e destruir. Mas quem é você para julgar (condenar) o próximo?".

Julgar como discernimento e retendo o que é bom

Julgar no sentido de analisar tudo para "ficar" com o que é proveitoso, e advertir do erro e consequências, é um dever (I Tessalonicenses 5:21). A bíblia diz também que julgaremos os anjos, se deve julgar as profecias e os profetas (Romanos 14:13, I Coríntios 5:12 e 6:2-5, Judas 1:15). Há crentes fazendo o que não deve, e ai quando ouve uma exortação já vai dizendo: não julgue. Fico até pensativo de como João Batista, seria por muitos de hoje criticado como um “julgador”.

Jesus ter dito não julgueis não é senha para camuflar pecados, não haver o disciplinar e aceitar doutrinas erradas. O que temos de ter cuidado, é para não julgarmos pela aparência: "Não julguem apenas pela aparência, mas façam julgamentos justos" (João 7:24); "Deus julgará os segredos dos corações" (Romanos 2:16).

Também entendamos Jesus no que diz em João 8.15-16. Quando Ele disse “eu a ninguém julgo”, logo em seguida diz “o meu juízo é verdade concreta”. Ele está a enfatizar a origem de seu julgar, que era pela autorização de Deus Pai. Por exemplo, quando um infrator vai para a prisão não foi em si o juiz que o culpou, mas as leis estabelecidas é que o condena. Por isso Jesus não veio para condenar e sim salvar da sentença da lei, que nos revela a incapacidade de se cumprir ela por si só.